Saltar para conteúdo

Expansão do Metro de Lisboa já tem 3 concursos adjudicados

Com a formalização da adjudicação do contrato referente ao Lote 3, o Metropolitano de Lisboa concluiu uma importante fase preparatória para o arranque do Plano de Expansão. A expetativa é que, após cumpridas as formalidades legais previstas, todos os contratos estejam em vigor até ao final de 2020.

O contrato referente à execução da empreitada de construção do Lote 1: Execução dos toscos entre o término da Estação Rato e a Estação Santos foi assinado a 6 de maio com a ZAGOPE - Construção e Engenharia, S.A., com o prazo global de execução de 960 dias, e o valor de 48,6 milhões de euros, acrescido de IVA à taxa legal em vigor. O projeto jáiniciou a sua vigência, após visto prévio do Tribunal de Contas.

Quanto ao Lote 2, para a construção entre a Estação de Santos e o Cais do Sodré, na sequência do concurso público efetuado e após a avaliação pelo Júri do procedimento, o Metro de Lisboa aprovou a adjudicação da empreitada no dia 3 de setembro ao agrupamento constituído pelas sociedades Mota Engil, Engenharia e Construção, S.A. / SPIE BatignollesInternational, Sucursal em Portugal. O projeto tem o valor de 73,5 milhões de euros e um prazo de execução de 960 dias, contados da data da respetiva consignação, que só poderá ocorrer após obtenção de visto prévio do Tribunal de Contas.

No lote 3, para a construção dos novos viadutos sobre a Rua Cipriano Dourado e sobre a Av. Padre Cruz, na zona do Campo Grande, prevendo a ampliação da estação do Campo Grande para Nascente, a obra foi adjudicada ao consórcio da Teixeira Duarte, Engenharia e Construções, SA / Somafel, Engenharia e Obras Ferroviárias, por um valor de 19,5 milhões de euros e prazo de execução de empreitada de 698 dias.

A fiscalização das obras de expansão do Metropolitano de Lisboa caberá à Tecnoplano, empresa portuguesa de consultoria e gestão de projetos de engenharia, que em consórcio com a Consulgalganhou o contrato de fiscalização de empreitadas no valor de 210,2 milhões de euros para o Metropolitano de Lisboa, que compreende o prolongamento da estação Rato (da linha Amarela) à estação Cais do Sodré (da linha Verde) com duas novas estações: Estrela e Santos. A estas empreitadas já adjudicadas acrescerá a fiscalização dos subsequentes contratos por adjudicar de acabamentos e equipamentos das estações túneis, poços de ventilação e viadutos.