Saltar para conteúdo

expansão

Realizou-se, a 28 de maio pelas 18h00, a bênção das imagens da Santa Bárbara nos três estaleiros das obras do Metropolitano de Lisboa referentes ao Lote 1, Lote 1 – Execução dos toscos entre o término da Estação Rato e a Estação Santos.

A zona da Estrela vai passar a estar servida pela rede de metropolitano da cidade.

Já está assinado o Auto de Consignação do Lote 1. Adjudicado à ZAGOPE – Construção e Engenharia, S.A., a consignação vem formalizar o arranque das obras para a concretização do Plano de Expansão do Metropolitano de Lisboa, que visa ligar o Rato ao Cais do Sodré com duas novas estações: Estrela e Santos.

A expansão do Metropolitano de Lisboa terá seguimento através do prolongamento da Linha Vermelha entre São Sebastião e Alcântara, com quatro novas estações. Será um prolongamento de 4 km e inclui a construção das estações Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara.

Os contratos referentes à execução das empreitadas de projeto e construção dos Lotes 2 e 3 do Plano de Expansão do Metropolitano de Lisboa – Prolongamento das Linhas Amarela e Verde (Rato – Cais do Sodré) receberam vistos prévios favoráveis por parte do Tribunal de Contas.

O Metropolitano de Lisboa tem em curso os trabalhos de arqueologia integrados na execução do Plano de Expansão da Rede, com a criação da linha circular.

A Comissão Europeia aprovou a atribuição de 83 milhões de euros, através do Fundo de Coesão, ao investimento na linha circular.

O Metropolitano de Lisboa através da Zagope, Construções e Engenharia, S.A. iniciou a realização de sondagens na zona do antigo Hospital Militar, na Estrela, no dia 8 de julho. As sondagens realizam-se dentro da área do antigo Hospital Militar da Estrela pelo que não haverá qualquer perturbação na zona.

Com a formalização da adjudicação do contrato referente ao Lote 3, o Metropolitano de Lisboa concluiu uma importante fase preparatória para o arranque do Plano de Expansão. A expetativa é que, após cumpridas as formalidades legais previstas, todos os contratos estejam em vigor até ao final de 2020.